RASTILHO DE PÓLVORA ESTÁ ACESO

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Conflito deixa sem-terra feridos em Bom Jesus

Segunda-Feira, 22/09/2014, 23:27:23 - Atualizado em 22/09/2014, 23:27:2

i
Pelo menos quatro trabalhadores sem-terra ficaram feridos após um conflito com um capataz da fazenda Gaúcha, em Bom Jesus do Tocantins, 70 km de Marabá, no sudeste paraense, no início da noite desta segunda-feira (22). Há a informação, ainda não confirmada, que um sem-terra morreu.
Um morador da área, que preferiu não ser identificado, disse que o conflito teve início após um capataz da fazenda tentar impedir a entrada de um ônibus escolar que foi deixar as crianças no acampamento.
Segundo o morador, os trabalhadores revidaram e houve o confronto. O funcionário da fazenda, identificado como “Neném”, já teria feito outras ameaças aos trabalhadores rurais.
As famílias estão no imóvel aguardando o andamento do processo de desapropriação da fazenda.
(DOL)

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Poeta teria desagradado cúpula de emissora

Segunda-Feira, 22/09/2014, 09:30:59 - Atualizado em 22/09/2014, 09:30:5


Em meio a algumas teorias sobre a saída de Patrícia Poeta do "Jornal Nacional", ganhou destaque a que diz respeito sobre seu desempenho nas entrevistas realizadas com os presidenciáveis. Em especial com Marina Silva (PSB) e Dilma Rousseff (PT).
A jornalista teve avaliação negativa de João Roberto Marinho, responsável pelo jornalismo da emissora. O anúncio de sua ida para a área de entretenimento acabou sendo antecipado, segundo o "Notícias da TV".
No caso do encontro com a atual presidente da República, a apresentadora quase não falou. Ela fez sua primeira intervenção aos 7 minutos de conversa e não conseguiu seguir o ritmo de seu companheiro de trabalho, William Bonner.
O âncora, aliás, ganhou grande repercussão após esse encontro. Enquanto o jornalista interagiu ativamente na entrevista com Dilma, Poeta falou brevemente sobre a questão da saúde no País.
Já na entrevista com Marina, a profissional foi considerada um "fiasco" nos bastidores do canal. Isso porque, além da falta de intervenções, ela acabou fazendo uma pergunta que não ficou clara e acabou pressionada pela candidata do PSB.
(DOL, com informações do site MSN

)

-QUE CULTURA!!! - HERRAR É UMANO!

Viúva de Campos se emociona ao gravar programa

Domingo, 21/09/2014, 19:45:50 - Atualizado em 21/09/2014, 19:49:28 

Viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, 47, se emocionou na manhã deste sábado (20) ao gravar depoimentos para o programa eleitoral de Paulo Câmara (PSB), escolhido pelo marido para disputar o governo de Pernambuco.
É a primeira vez que Renata participa especificamente de programas de TV. A ex-primeira-dama gravou ao menos dois depoimentos escritos por ela mesma, para que o discurso tivesse um tom mais pessoal. Segundo um integrante da campanha, ela disse conhecer Câmara e afirmou que ouvia o marido falar muito da "determinação" de seu escolhido, que já havia sido secretário das pastas de Administração, Turismo e Fazenda durante os dois governos de Campos. Poucas pessoas acompanharam as gravações que aconteceram na sala e na varanda da casa onde Renata e os cinco filhos do casal vivem.
A campanha ainda não decidiu se vai usar o trecho em que a viúva se emociona, pois temem que as peças publicitárias fiquem apelativas.
Além de gravar para Câmara, Renata também filmou depoimento para Fernando Bezerra (PSB-PE), ex-ministro de Dilma Rousseff que tenta o Senado na chapa do PSB. Os primeiros programas de Câmara exploraram muito a morte de Campos e a relação que o ex-governador morto em um acidente aéreo em agosto tinha com o candidato. Um discurso feito por Renata em um ato do PSB em agosto, um dia após o sepultamento do ex-governador, já havia sido usado pela campanha.
Na onda de comoção e intitulando-se "herdeiro" e "sucessor" de Campos, Paulo Câmara saltou, em um mês, de um distante segundo lugar para a liderança nas intenções de voto. Segundo o Ibope, ele começou a disputa 35 pontos atrás do senador Armando Monteiro Neto (PTB-PE), com apenas 8% das intenções de voto em 2 de junho. Na mais recente pesquisa, divulgada no último dia 16, Câmara aparece com 38%, enquanto Monteiro Neto tem 32%.

Já na disputa pelo Senado, Bezerra cresceu e chega a 27%, mas ainda não conseguiu ultrapassar o ex-prefeito do Recife João Paulo (PT-PE), que lidera com 32%.
(DOL com informações da Folhapress)

sábado, 20 de setembro de 2014

HÉLDER OU JATENE - SE CORRER O BICHO PEGA SE FICAR O BICHO COME

Simão Jatene vence no 1º turno, diz pesquisa

Pesquisa realizada pelo BMP (Bureau de Marketing e Pesquisa) para governador do Pará aponta que o candidato à reeleição Simão Jatene (PSDB – foto) possui 38,90% das intenções de voto, enquanto Helder Barbalho (PMDB) está com 32,83%. Jatene, com seis pontos percentuais de vantagem sobre o 2º colocado, ganharia a eleição já no 1º turno, já que a diferença a favor é maior que a soma dos demais candidatos.

Neste link, o relatório completo da pesquisa.

A pesquisa foi registrada TRE (Tribunal Regional Eleitoral) na segunda-feira (15), sob o número de protocolo PA-00033/2014.
Foram ouvidos 2.500 eleitores de todas as regiões do estado e a coleta de dados ocorreu no período de 16 a 19 deste mês. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O resultado da pesquisa estimulada aponta Jatene com um total de 38,90% das intenções de voto. Helder Barbalho aparece com 32,83% das intenções de voto. Em seguida aparecem os candidatos Marcos Carrera (1,47%), Marco Antônio (0,40%), Zé Carlos (1,08%) e Elton Braga (0,95%).
Indecisos somam 18,42% e brancos ou nulos 5,95%.
Numa simulação de segundo turno entre Jatene e Helder Barbalho a pesquisa aponta nova vitória do atual governador com 41,60% das
intenções de voto, contra 36,88% para o candidato do PMDB.
AVALIAÇÃO
A pesquisa BMP perguntou ainda aos entrevistados “como você avalia o desempenho do governo Simão Jatene até o momento?”. Para 37,81% das pessoas ouvidas o desempenho do governo Jatene é ótimo ou bom e para 34,63% dos entrevistados o governo tem desempenho regular.
Para o Senado, a pesquisa estimulada aponta empate técnico entre o petista Paulo Rocha (18,76%) e o radialista Jefferson Lima (17,57%).
____________
Fonte Blog do Jeso Carneiro
Titulo RP

PROCURADOS!


MÚSICAS QUE EMBALAM SONHOS

Essa só podia ser de LAMBERTO DI CARVALHO, que colocou na blogosfera, uma verdadeira cortina musical, para recordar a boa musica, que contem melodia e letra, que edifica a vida do ser humano.

A façanha de nos brindar com esse presente  mostra o compromisso de um profissional de radio e televisão que no decurso de seus 40 anos de profissão, aprendeu e bem o gosto musical e compartilha com seus incontáveis ouvintes.
ACESSE:
 

O BRASIL DOMINADO POR ALMAS GÊMEAS


RESPIRAM OS INDIGENAS E POPULAÇÃO RIBEIRINHA

Hidrelétrica de São Luiz-Tapajós fica para depois
Por que tanta pressa no caso do Tapajós? Talvez fosse uma tentativa de criar um fato consumado na eventualidade de Marina Silva ser eleita presidente da república. Como ministra do meio ambiente de Lula, Marina foi contrária não apenas aos projetos hidrelétricos, mas, em especial, contra sua tramitação acelerada pela instância ambiental do governo. Como presidente, ela poderia vir a mudar completamente o encaminhamento da hidrelétrica de São Luiz.
Governo recua no Tapajós
Por Lúcio Flávio Pinto
em seu blog

O governo se curvou ao que era evidente e voltou atrás, ontem, na decisão que tomara apenas quatro dias antes, apesar da relevância e grandeza do assunto. O Ministério de Minas e Energia revogou sua própria portaria, que definia as diretrizes para a realização do leilão da hidrelétrica de São Luiz do Tapajós, projetada para 8 mil megawatts. A concorrência fora marcada para 15 de dezembro.

 O ministério deu sua justificativa: a revogação foi necessária para adequar os estudos antropológicos, relativos às populações indígenas, apesar de já estar concluído o Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica e o EIA/Rima da usina.

jotaparente.blogspot.com
Quando o governo anunciou, no final da semana passada, que ia fazer a licitação dentro de apenas dois meses, o ceticismo foi geral. Para a obra ser iniciada é necessário obter o licenciamento ambiental, já em si complexo, e ainda mais complicado porque no vale do Tapajós, entre o Pará e o Mato Grosso, o governo pretende utilizar pela primeira o conceito usina-plataforma. Essa nova abordagem dispensaria a construção de uma vila residencial às proximidades do barramento do rio. Reduzindo o impacto ecológico e os danos sociais.
 
À inovação tecnológica, até hoje uma incógnita para quem a acompanha a partir de fora, se agrega outro fator: a resistência até agora manifestada pelos índios, liderados pelos Munduruku.

O presidente da Thymos Energia, João Carlos Mello, disse ao site Canal Energia que o licenciamento “apresentará muitas condicionantes ambientais o que deverá elevar o custo do projeto”. Mas elogiou a usina de São Luiz, para ele melhor do que a de Belo Monte, no Xingu, porque irá operar com queda de água e não a fio d’água, com pouco reservatório. Assim, a potência firme será maior do que em Belo Monte, onde a proporção é de 40% em relação à capacidade nominal de geração de energia. No verão, ela perde potência.
O pedido de licenciamento prévio da hidrelétrica do Tapajós foi protocolado no Ibama no final de julho. Para que a licitação pudesse ser feita em 15 de dezembro, o licenciamento ambiental teria que ser aprovado até 15 de novembro, um mês antes de sair o edital da concorrência pública para a usina. A mesma solicitação para Belo Monte a apresentada em março de 2009. O documento foi expedido pelo Ibama quase um ano depois, em fevereiro de 2010.
 
Por que tanta pressa no caso de Tapajós? Talvez fosse uma tentativa de criar um fato consumado na eventualidade de Marina Silva ser eleita presidente da república. Como ministra do meio ambiente de Lula, Marina foi contrária não apenas aos projetos hidrelétricos, mas, em especial, contra sua tramitação acelerada pela instância ambiental do governo. Como presidente, ela poderia vir a mudar completamente o encaminhamento da hidrelétrica de São Luiz.
Se foi esse objetivo, seus patrocinadores tiveram que se render à evidência de que o licenciamento não sairia em tempo. E, se saísse, o preço a pagar por essa tramitação em marcha batida podia vir a ser muito alto, expondo o projeto a mais críticas do que as já expostas. Daí o recuo. O desfecho provisório é o melhor para todos. O projeto tem magnitude que recomenda mais parcimônia no uso do tempo – e, também, do poder de criar fatos consumados à custa da razão.
_______
Transcrito do Blog do Jornalista MANUEL DUTRA
título RP

Comissão concede anistia a 14 indígenas

Sexta-Feira, 19/09/2014, 23:59:04 - Atualizado em 19/09/2014, 23:59:04 

A Comissão de Anistia reconheceu hoje (19) a anistia política a um grupo de índios da etnia Suruí vítimas da ação da ditadura militar durante a Guerrilha do Araguaia. Dos 16 pedidos analisados nesta sexta-feira, a comissão reconheceu 14. Em todos os processos os índios foram utilizados pelos militares para o reconhecimento do território e para servir de apoio nas perseguições aos guerrilheiros. 
Ao reconhecer a violação dos direitos dos índios, o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, pediu desculpas pela ação do Estado brasileiro. “O conjunto de uma comunidade indígena também foi vítima da ditadura militar e que essa repressão, que aconteceu ao povo que vivia em torno da região da Guerrilha do Araguaia, atingiu não apenas os camponeses, os guerrilheiros, mas também as comunidades indígenas que lá estavam”, disse Abrão. 
Até hoje, a Comissão de Anistia só havia reconhecido um caso de indígena perseguido pela ditadura. Segundo Abrão, a iniciativa abre espaço para que a história seja recontada. “O que era apenas uma presunção, agora é certeza e a história tem que ser recontada para dizer que indígenas também foram atingidos pela repressão”, disse. 
Os índios anistiados habitam a aldeia Soror, na Terra Indígena Aikewara, localizada entre os municípios de Marabá (PA), São Geraldo do Araguaia (PA), São Domingos do Araguaia (PA) e Brejo Grande do Araguaia (PA). No período da Guerrilha do Araguaia, o contato dos suruí com os “brancos” era recente, feito a partir da década de 50 do século passado e intensificada na década de 1960. 
“Quando estourou o problema da questão política daquela época, o meu povo estava com pouco tempo de contato”, disse à Agência Brasil, o índio Winurru Suruí, neto de um dos anistiados. “Eles ficaram em cárcere privado dentro da aldeia, não podiam sair, não podiam caçar, o estoque de alimentação foi destruído. Dentro da aldeia montaram uma base na qual o Exército ficou de 1971 a 1973 e alguns indivíduos adultos foram requisitados para ajudar [nas ações]. Poucos indígenas entendiam o português, apenas um que era o tradutor”, complementou. 
O movimento guerrilheiro no Araguaia começou no fim dos anos 60 para lutar contra a ditadura militar. Organizado por pessoas ligadas ao PCdoB, o grupo acabou constituindo o primeiro movimento que enfrentou o Exército durante o regime militar. Foram utilizados mais de 3 mil militares no conflito, que durou de 1972 a 1975. Mais de 60 pessoas morreram e muitos corpos continuam desaparecidos. Para chegar ao reconhecimento, a Comissão de Anistia analisou documentos, depoimentos prestados pelos índios ao Ministério Público Federal e dos próprios indígenas. 
(Agência Brasil)

Eleitores devem ter cuidado com roupas

Sábado, 20/09/2014, 09:14:59 - Atualizado em 20/09/2014, 10:49:08 

Quem vai votar no próximo dia 05 de outubro, no 1º Turno das eleições deste ano, deve ter atenção às roupas que vai usar. Mais que cuidado com a estética, a escolha das roupas é importante para evitar constrangimentos e até mesmo punições.
O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) recomenda que os eleitores não utilizem camisetas que façam referências a partidos políticos ou candidatos. Quem for com algum adereço ou vestimenta que faça este tipo de referência pode ser impedido de votar e ser mandado de volta para casa, para trocar de roupa, e somente depois votar. 
Os mesários também não devem usar roupas que façam qualquer tipo de referência a partidos políticos ou candidatos.
(DOL, com informações do TRE-PA)

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

LEONARD CABRAL: SANGUE NOVO NO CORAÇÃO DO POVO!


 
 
Jacareacanga - Com potencial para eleger-se a Deputado na corrida a uma vaga na ALEPA, LEONARD CABRAL, sente na pele, o que a sua genitora Horalice, sofreu quando participou ativamente da política em Itaituba, e foi eleita na ocasião com considerável projeção de votos para a Câmara de Vereadores.

Horalice se contrapôs, à época contra o coronelismo estabelecido na política Itaitubense, tendo a coragem de se defrontar contra vícios insanáveis da politica rasteira e saiu vencedora, e se não fez escola de grande projeção política à nível estadual, foi por motivos  relacionados a vida profissional, já  que saiu do cenário político para se aperfeiçoar profissionalmente no Rio de Janeiro e formar os filhos  (Leopoldine e Leonard) que com louvor exercem a medicina neste município em que nasceram.
Do vêio politico de Horalice, que é uma hábil negociadora sem contaminar-se com ilicitudes, surge LEONARD CABRAL, que assume toda a responsabilidade da intencionalidade de sua genitora fazendo busca em eleger-se Deputado Estadual, para encaminhar com mais celeridade as políticas sociais  das esferas governamentais   em defesa da municipalidade de Itaituba e cidades circunvizinhas. É de fácil compreensão perceber que a ânsia do jovem politico em eleger-se, não é simplesmente uma aventura, ou um meio de vida, como tantos se utilizam desses pretextos, já que é um médico com especializações, oriundo de um família que se fez respeitar pelo  trabalho e pela decência, que deseja contribuir com uma região  que os abrigou.
Não é surpresa pra ninguém que a candidatura do jovem médico incomoda muita gente. Personagens tais que fazem da politica arma para angariar capital político rasteiro e compor  massa de manobra,  que através de mentira constroem e destroem reputações. LEONARD CABRAL é um alvo a ser vencido pela maioria de seus opositores, pois sua candidatura cresce atingindo os municípios adjacentes a Itaituba, principal reduto do jovem médico e politico, que já se torna a principal revelação politica da região sem ter mandato, e estreando nessa corrida.
É caso de polícia, a indústria de vandalismo  que se volta contra Leonard que tem sua propaganda estática nas principais vias públicas na calada da noite destruidas, ocasionando prejuízos materiais consideráveis o que concorre para tais reprováveis atos serem  avaliados da seguinte maneira:
Para os promotores dessa anarquia e seus sequazes, a destruição da propaganda causa impacto negativo ao candidato; para o povo que prima pela decência e a democracia, isso  mostra um forte indicio que Leonard Cabral está tendo um crescimento vertiginoso em sua candidatura e pode chegar lá.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

MORRE BIBOY KABÁ, O GRANDE LÍDER MUNDURUKU

KAROSACAEBU CONVOCOU O GUERREIRO BIBOY  À MORAR ONDE AS CAÇAS E PESCADOS NÃO SE ESGOTAM E AS ÁGUAS DO IDXIRI VIRAM NUVENS DE ALGODÃO
 
Jacareacanga - Anuncia-se com profundo pesar, a morte por causas naturais, do Cacique BIBOY KABÁ MUNDURUKU, que contava com 102 nos de idade, na manha deste dia (15) no Hospital Municipal de Jacareacanga. o grande guerreiro, padecia com os males da velhice, e viveu grandes momentos de sua vida rodeado de sua enorme prole na Aldeia Katõ do Rio Kabitutu.
 
O nome Biboy Kabá confunde-se com a evolução politica e econômica de Jacareacanga, já que o Grande Guerreiro Munduruku, contribuiu com a mão de obra mesmo que servil e barata com os ciclos econômicos do extrativismo (castanha, Cipós, Seivas) com a caça de peles de animais silvestres (Onça, gato, etc) e no universo politico, o Lider Munduruku, já àquela época da década de 50, foi um soldado oficioso, mesmo sem graduação da luta do herói regional Haroldo Coimbra Veloso na revolta que causou em Aragarças e Jacareacanga. Conforme reza informações de Mizael, neto de Biboy, acossado Haroldo Veloso valeu-se de informações de Biboy para embrenhar-se na floresta e manter-se isolado longe de seus captores.
 
A garantia sobre a delimitação, demarcação, homologação e regularização fundiária das Terras Indígenas Munduruku e Sai Cinza, além do brioso trabalho de grandes servidores da Funai, teve em seu bojo a liderança sobre os indígenas do comando preciso e necessário do valente Biboy Kabá.
 
Em um aspecto mais amplo, além da luta pela garantia da posse permanente das terras indígenas do alto Tapajós, teve em Biboy a principal liderança para lutar pela educação e saúde, comandando seu povo com inteligência e segurança.
 
O velho guerreiro, deixa como legado ao povo indígena, a historia de sua luta pelo cumprimento coletivo dos direitos assegurados a seu povo,  à população envolvente deixa perene a historia que dois povos mesmo separados culturalmente que falam línguas diferentes, podem sim viver como irmãos, se respeitando sempre.
  
Os restos mortais de Biboy Kabá se seguirem sua vontade e a cultura de seu povo, deverá repousar para sempre em uma cova dentro de sua casa, no local abaixo onde era armada sua rede, e na mesma cova enterrado consigo todos os seus pertences pessoais.
O POVO MUNDURUKU CHORA A MORTE DE SEU GRANDE CHEFE
VIVA BIBOY!!!

domingo, 14 de setembro de 2014

PT É UMA MÁQUINA DE DESTRUIR REPUTAÇÕES

COMENTÁRIO QUE ASSUSTA.
PRESTEM ATENÇÃO MÁXIMA. É O ESTADO DEMOCRATICO DE DIREITO EM JOGO

É SÓ CLICAR AQUI!


-QUE CULTURA!!! - HERRAR É UMANO!


A SÍNDROME DA VIADAGEM ADQUIRIDA

Lésbicas são mais felizes na cama do que as hetero

Domingo, 14/09/2014, 10:35:53 - Atualizado em 14/09/2014, 10:52:45

Um recente estudo de Kinsey mostrou que lésbicas estão mais realizadas debaixo dos lençóis do que as heterossexuais. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.
Na verdade, os homens também apresentam boa qualidade entre quatro paredes, independente de sua orientação sexual, sendo que tanto eles quanto as lésbicas chegam ao orgasmo com facilidade.  As mais desfavorecidas, consequentemente, são as mulheres heterossexuais.

O levantamento, que ouviu 2850 homens e mulheres, perguntou aos participantes com que frequência eles chegavam ao orgasmo com seus parceiros.
A pontuação entre os heterossexuais foi de 85,1% para os homens contra 62,9% das mulheres. Quando a pergunta foi direcionada a homens gays a porcentagem variou menos de um por cento. O mesmo não aconteceu com as mulheres. Entre as lésbicas, o número subiu para 74,7%.
Os pesquisadores concluíram que os casais heterossexuais se concentram na relação sexual, uma rota confiável para o orgasmo, e o foco não está na estimulação do clitóris.
Os dados da pesquisa incitam a pergunta: o que as mulheres heterossexuais devem aprender com as homossexuais? Confira uma lista de dicas a seguir.

Não faça da relação sexual o evento principal
Como não existe um pênis, o sexo com penetração não é o fim de tudo para as lésbicas.
Não tenha pressa
Mulheres sabem que demoraram mais para chegar ao orgasmo do que homens, então, é preciso mais paciência. Não coloque pressão no parceiro.
Não seja preguiçosa
As lésbicas tendem a não separar os papeis na cama, entre o que doa e o que recebe. Ambas desempenham as duas funções. As amantes preguiçosas não fazem sucesso entre as lésbicas.
Começo, meio e fim
Pare de pensar que o sexo tem que ter começo, meio e fim. Mulheres podem ter mais de um orgasmo durante uma única relação, então não existe algo que defina o final. Pode demorar o quanto você quiser, com quantos orgasmos desejar.
Tenha mais preliminares
Uma pesquisa recente derrubou o mito de que homens não gostam de preliminares. A importância delas para uma relação de qualidade já é muito conhecida, mas não custa ser lembrada.
(DOL com informações do Terra e do Daily Mail

O contra-ataque do Império


Que candidato seria estúpido o bastante para ser contra o Bolsa Família, o aumento do salário mínimo ou o pré-sal e seus trilhões para a Educação e a Saúde?
Como uma nostalgia caricata da monarquia, uma das piores distorções do presidencialismo brasileiro é a sua atitude imperial. Os governantes falam eu fiz isso/eu fiz aquilo como se tivessem feito com as próprias mãos, pagando do próprio bolso. O governo federal se mostra como um magnânimo monarca quando repassa verbas públicas aos estados e municípios, como um grande favor e um gesto de bondade a ser retribuído. Quando era ministro do Trabalho, Carlos Lupi apresentava em rede nacional estatísticas de emprego e eu quase acreditava que tivessem sido criados por ele e seu ministério, e não pela industria, comércio e serviços… rsrs.
Não é só uma cara de pau algumas vezes hilariante, e outras, constrangedora, mas símbolo de uma cultura popular em que o presidente é imaginado como um imperador, que distribui dinheiro, empregos, progresso e justiça por vontade soberana, como se não existissem o Congresso, os tribunais, o Ministério Publico, a imprensa, as redes sociais e a opinião pública. Com Lula, nasceu o mito do imperador-operário, ou do sindicalista-imperador, que tudo pode e tudo faz, até uma refinaria de bilhões de dólares como um agrado ao companheiro-imperador Hugo Chávez, que, imperialmente, nunca botou um bolívar no projeto, deixando a conta para a Petrobras e os súditos.
Que candidato seria estúpido o bastante para ser contra o Bolsa Família, o aumento do salário mínimo ou o pré-sal e os seus trilhões de dólares para a Educação e a Saúde? Ficaria falando sozinho e seria chamado de burro e louco pelos adversários. Quem poderia acabar com o pré-sal, o Bolsa Família, a reeleição, liberar as drogas, o aborto, dar independência ao Banco Central ou privatizar a Petrobras sem maioria parlamentar e aprovação do Judiciário? Nem se fosse imperador, seria deposto.
Numa república democrática, tudo isso parece óbvio, chato e repetitivo, mas não no Brasil, onde estamos em uma acirrada campanha para eleger uma imperatriz, ou imperadora.
Já no Império Americano, mais objetivo, ninguém consegue se reeleger imperador com a economia ruim: foi o que derrotou Jimmy Carter e George Bush pai.
Nelson Motta
___________
Encaminhado por: Míster JUMM que uto, dá coice em falcatruas

terça-feira, 9 de setembro de 2014

TUDO DOMINADO!









NÃO TEM JEITO PRA ELA MESMO... SEM QUERER QUERENDO, A MEGERA ESTÁ LEVANDO A POLTRONA DO PALÁCIO PLANALTO...
...É O COSTUME DE SEMPRE.